Resenha: A Viajante do Tempo (Outlander #1), de Diana Gabaldon


Hey pessoal!

Mais uma vez venho com outra resenha, e, para quem tem me acompanhado pelo twitter deve ter reparado minha nova obsessão por uma tal série de livros e sua adaptação para a TV. Felizmente consegui terminar o primeiro livro - gigante - da série, e já digo que não me decepcionei, pelo contrário, o livro entrou como o melhor do ano até esse momento ;)

Estou falando do livro A Viajante do Tempo, da autora Diana Gabaldon <3


Autora: Diana Gabaldon
Páginas: 800
Editora: Saída de Emergência
Gênero: Romance Histórico

Sinopse: Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente? 

Claire e Frank Randall estão em sua segunda lua de mel, na Escócia, para se reaproximarem depois de mais de cinco anos separados pela Segunda Guerra Mundial. Claire trabalhou na hospitais como enfermeira, atendendo todo tipo de paciente com graves ferimentos provocados pela pior guerra já vista. E Frank trabalhou com as missões secretas.

Porém há mais do que o motivo de se reaproximarem para terem escolhido a Escócia. Frank, um historiador, está procurando por seus antigos ancestrais, em especial um ex soldado do exército britânico que atuou na Escócia no século XVIII. Durante suas pesquisas e descobrindo mais sobre as superstições locais, o casal acaba vendo uma espécie de ritual, feito ao redor de um círculo de pedras em uma colina chamada Craigh na Dun. Após terem presenciado aquele ritual, Claire, que além de enfermeira tem um interesse muito forte por botânica - plantas e seus efeitos medicinais - acaba percebendo uma planta em especial perto das pedras e em outro dia volta novamente ao estranho círculo para ver melhorar a planta.

Uma coisa estranha acontece, Claire ouve barulhos vindo da maior pedra desse círculo e quando encosta sua mão na rocha acaba passando por uma experiência sem explicação e quando acorda se vê no meio de uma batalha entre homens montados em cavalos e atirando com mosquetes.

"Parecia inconcebível, mas todas as evidências indicavam que eu estava em algum lugar onde os costumes e a política do final do século XVIII ainda vigoravam. Eu teria imaginado que tudo não passava de algum tipo de espetáculo à fantasia, se não fosse pelos ferimentos do jovem a quem chamavam de Jamie. Aquele ferimento fora realmente provocado por algo muito semelhante a um tiro de mosquete, a julgar pelos estragos que deixara."

Apesar de não acreditar no começo, pensar que fosse parte de algum tipo de filme sendo gravado ali, Claire acaba percebendo que realmente viajou no tempo através das pedras. Duzentos anos no passado, mais precisamente em 1743.

E logo que chegou àquele lugar tomou um grande susto, se deparou com nada mais nada menos que o antepassado de sua marido Frank, o Capitão Jonathan Wolverton Randall e podem acreditar, apesar dele ser praticamente idêntico ao marido de Claire, não possui a mesma bondade e gentileza. Claire quase é estrupada por ele e quando um homem a salva, leva-a para uma cabana onde acaba conhecendo membros do clã MacKenzie e nosso amado Jamie. Com sua inteligência sagaz Claire percebe que precisará da ajuda desses homens se quiser voltar ao círculo de pedras e acaba se vendo envolta desse clã, tentando conquistar a confiança deles e se deparando com muitos problemas, mentiras e desconfianças.




Por muitos motivos acho esse livro um dos melhores romances que já li: a história é muito bem contada pela escrita da autora e pelo ponto de vista da protagonista, o romance entre Jamie e Claire é construído de uma forma lenta, começando com uma amizade -  graças a gratidão que Jamie sente por Claire ter cuidado dele quando estava ferido - e então vai evoluindo pouco a pouco, com todas as incertezas e problemas ao redor deles. É realmente uma relação, sabe? Com brigas e provocações e pedidos de desculpas. 

A questão histórica e visual do livro também é esplendida. Toda a relação entre os escoceses e os ingleses - que estão roubando suas terras, violando suas mulheres e etc - é muito bem construída e mesmo nossa protagonista não sabe em que lado ficar, se com seus patriotas - os ingleses - ou o grupo que a acolheu apesar de tudo. A violência e o descaso com a mulher também é um ponto importante no livro. Claire inúmeras vezes sofreu tentativas de estrupo - que na época era algo comum - e sofremos e ficamos indignados quando essas cenas acontecem, é algo realmente lamentável.

Claire me surpreendeu muito como protagonista, é uma das mais inteligentes e sagaz que já me deparei em um livro. Ela se adapta rapidamente ao ambiente, mesmo com as diferenças entre o século XX e o século XVIII. Mas claro que gera desconfiança entre o clã, e acaba sendo suspeita de ser uma espiã.

~ ~ ~

Outro ponto importante no livro são os personagens secundários. Sério, é incrível como cada um tem sua importância em determinado ponto da história, cada um com sua personalidade, boa ou ruim. E falando em personalidade ruim, meu deus, o que dizer do nosso maldito vilão Black Jack Randall? - apelido do capitão - quando eu simplesmente achava que ele não poderia ser pior ELE ERA MAIS AINDA! 

MEU DEUS MEU DEUS MEU DEUS!

Como eu sofri ao chegar ao final do livro, vocês não fazem a menor ideia! Diana não tem a menor pena da gente e nos descreve com detalhe cada cena nauseante.

E posso dizer a você aí que pensa em ler esse livro, que se prepare. Se prepare para personagens diversos, se prepare para cair de amor por Jamie Fraser e se prepare, mesmo, para sofrer.


~ ~ ~

Sendo o maior livro que li até hoje em questões de página, possui 800, e lido em exatos uma semana e quatro dias - o que acho um feito impressionante para mim mesma - não poderia ser diferente e A Viajante do Tempo se tornou até o momento a melhor leitura de 2016. 

Estou super ansiosa - e temerosa - para continuar a série com o segundo livro, A Libélula no Âmbar.

Ahh, também saibam que a série de livros foi adaptada para o TV, com o nome Outlander. Assisti ontem os primeiros episódios e recomendo muito que assistam pois a adaptação é ótima! Super fiel ao livro, em todos os sentidos! :)



~ ~ ~

Espero que tenham chegado ao final dessa resenha com mais vontade de ler o livro, e quero saber a opinião de quem já leu, se gostaram tanto quanto eu! ;)


MELHOR QUOTE

"A voz dos meus pensamentos parecia a de tio Lamb. Minha família e tudo o que conheci como amor quando criança. Um homem que nunca me falara de amor, que nunca precisara, porque eu sabia que ele me amava, tão certo como eu sabia que estava viva. Porque onde todo o amor existe, não há necessidade de palavras. É tudo. É imortal. E se basta."

NOTA: 5 ESTRELAS\FAVORITADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...